Além do modelo-exposição: práticas experimentais em curadoria.

A pandemia global tem nos apresentado múltiplos desafios, dentre eles, refletir sobre um espaço público em crise. Nesta perspectiva, o tradicional modelo de exposição se torna insustentável, nos instigando a revisitar práticas experimentais. Neste curso, realizamos um percurso histórico sobre modelos expositivos, entre Gabinetes de Curiosidades, Salões, Exposições Universais e o Cubo Branco. Em seguida, discutimos referências históricas e contemporâneas, nacionais e internacionais, que questionam o que entendemos por fazer curatorial, analisando projetos de Lucy Lippard, Seth Siegelaub, Ulises Carrión, alguns livros de artista (exemplos de Álvaro de Sá, Julio Plaza, Antonio Dias) e casos como arte postal, livro-exposição, jogos curatoriais e a noção de curadoria autoral.

Por fim, nos detemos em alguns exemplos de proposições para a web e o ambiente digital, entre iniciativas institucionais (como o ArtPort, do Whitney Museum) e independentes, refletindo ainda sobre relações possíveis entre algoritmo e curadoria.